Quarta-feira, 27 de Abril de 2011

Pensamentos soltos em Londres.

Verde. Muito verde. Animado pelos cães, esquilos, pássaros e pessoas nos seus rituais matinais de masoquismo em prol de uma data de desculpas, seja a sua saúde, seja a sua a atracção física. 

Os passos sucedem-se automaticamente apenas interrompidos pelo brilho do sol. 

Não é bem dormência ou apatia, é aquele estado zen de quem acabou de acordar e ainda não tem nada para dizer ao mundo, querendo apenas apreciar os pequenos prazeres, os pequenos nadas, como o chilrear dos pássaros, a brisa que passa, os curtos intervalos de silêncio desta cacofonia harmoniosa. 

A relva apresenta-se prazeirosa, preguiçosa, apetitosa, convidativa e começa a argumentar silenciosamente o ócio, aquele "dolce fare niente", que dificilmente é possível naquele dias. 

Ai se não tivesse um destino, uma hora, um compromisso, uma rotina. Este era o pensamento mais sentido que lhe interrompia o vazio da sua mente. 

publicado por Gonçalo Cardoso Dias às 17:53
link do post | comentar | favorito

.Olha nós!

.pesquisar

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Os últimos quacks!

. Pensamentos soltos em Lon...

.quacks arquivados

. Dezembro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds